CRE quer incentivar o turismo internacional ao Brasil pela cultura e gastronomia – Rádio Senado

Relações Exteriores

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) quer incrementar o turismo internacional ao Brasil, que desde 2004 mantém o mesmo número médio de visitantes. A presidente da CRE, senadora Kátia Abreu (PP-TO), apresentou propostas para atrair estrangeiros, interessados na cultura e gastronomia brasileiras.

30/09/2021, 17h17 – ATUALIZADO EM 30/09/2021, 17h17

Duração de áudio: 02:45

Foto: Márcia do Carmo / MTUR

Transcrição
A ECONOMIA CRIATIVA, A CULTURA E A GASTRONOMIA PODEM ATRAIR TURISTAS ESTRANGEIROS AO BRASIL. A COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES DISCUTIU O ASSUNTO E APRESENTOU PROPOSTAS PARA FORTALECER O TURISMO BRASILEIRO. A REPORTAGEM É DE IARA FARIAS BORGES. Entre as sugestões para incentivar a vinda de turistas estrangeiros ao Brasil apresentadas pela presidente da Comissão de Relações Exteriores, senadora Kátia Abreu, do PP do Tocantins, estão a elaboração de rotas turísticas na Amazônia; a utilização de embaixadas para divulgar o país no exterior; e a organização de um plano para o turismo brasileiro. Essas medidas devem incluir a divulgação da cultura e gastronomia nacionais. Segundo o representante da Embratur, André Reis, há cerca de 20 anos o Brasil recebe em torno de seis milhões de estrangeiros por ano, dos quais quase dois milhões são argentinos. Ao ressaltar a riqueza cultural e gastronômica do Brasil, a senadora Kátia Abreu defendeu uma política pública para o turismo. Eu não me conformo de ver países tão pequenos e com tão pouca diversidade, chegarem tão adiante e nós não conseguimos deslocar. É impressionante, inadmissível! E fico mais chocada quando seis milhões de turistas estrangeiros em 2004 e seis milhões de turistas em 2019. Será que ninguém viu isso durante todo esse período? Qual a estratégia nova para enfrentar isso, eu pergunto à Embratur, eu pergunto ao Ministério do Turismo? Ao defender a economia criativa e citar pratos típicos da região do Vale do Ribeira, em São Paulo, o pesquisador em história cultural, Carlos Pereira Júnior, ressaltou que as populações tradicionais ainda não usam os saberes em benefício próprio. Eles convivem com isso todos os dias, mas na hora de empreender, ela vai lá, abre seu espaço e cria uma pizzaria. Justamente, porque falaram para ela que a sua realidade é ruim, que tá ligado a algo pobre, algo ultrapassado, que ficou para trás.   Uma vez que os viajantes buscam experiências, para o Chefe Geral da Embrapa Alimentos e Territórios, João Veloso Silva, a pesquisa em alimentos deve estar associada à culinária e à cultura. A Ciência sozinha não cozinha. Nós temos uma diversidade única neste país, culturas extremamente diversas, e essa interação da Ciência nessa multidisciplinariedade associada aos cozinheiros, realmente vai proporcionar um avanço muito grande. Também participaram do debate Roberto Nedelciu, presidente da Braztoa, Associação das Operadoras de Turismo; Leônidas Oliveira, secretário de Cultura e Turismo de Minas Gerais; e a Chef Kátia Barbosa, criadora do bolinho de feijoada, patrimônio imaterial do Rio de Janeiro.  Rádio Senado, Iara Farias Borges.

Tags: No tags

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *